Negócios, Selos e História

O que relaciona estes assuntos com o escopo deste blog? Muitos aspectos!

Além dos artigos, deste blog, serem, basicamente, focados em conceitos e princípios básicos relacionados à área de administração e negócios, vários também procuram discorrer sobre a globalização, ética e os bons costumes e valores.

selo90Entre os costumes, um hobby mundial que está a perder adeptos e tornando-se mais raro, é a Filatelia. Quais seriam os fatores que motivaram essa diminuição de simpatizantes da Filatelia?

Esta análise, na perspectiva econômica e na perspectiva cultural, poderá facilmente ser transposta para várias outras áreas e costumes, que ora se perdem.

Na visão econômica, a partir da década de 80, com o liberalismo econômico, um das frases que tornou-se comum foi “Time is Money” – tempo é dinheiro – e tudo que a Filatelia não é, é algo que seja feito com pressa e visando lucro, no curto prazo.

Outro ponto, ainda que relacionado com a pressa, é a diminuição do tempo, qualidade e variedade na leitura que a humanidade, como um todo, está a praticar. Cada vez menos, as pessoas leem livros, tem tempo para conversar e discutir sobre assuntos que não sejam relacionados ao dia a dia, à economia e às crises. Logo, a Filatelia, que demanda pesquisa, estudo e conversa, está entre os costumes que não há “mais tempo para isso”.

prefilateliaAinda na perspectiva econômica – e último ponto para não alongar muito – a Filatelia permite uma visão histórica do país, principais eventos e figuras, e cria uma linha do tempo para a análise do desenvolvimento político, cultural e econômico do país da referida coleção. E mais, na Pré-Filatelia, com a análise das missivas, podemos chegar ao detalhe de observar e constatar os motivos e as ações que provocaram algumas transformações na sociedade, na economia ou mesmo fatos e costumes regionais.

Na perspectiva cultural e educacional a Filatelia é uma grande ferramenta de comunicação e de preservação não só da história como também, pela sua prática, dos costumes e valores éticos entre familiares e com grupos de interesse comum.

Em muitos casos, a Filatelia tem relação com a passagem de geração para geração da coleção e do conhecimento. Se nem os bons costumes estão a passar de geração para geração, o que se diria de um hobby e do conhecimento agregado?

Ao se desenvolver uma coleção, o conhecimento adquirido, em todos os anos dedicados, em grande parte, só poderá ser transmitido pela palavra pois é basicamente conhecimento tácito, adquirido com a experiência e a dedicação. E nada mais prazeroso seria, do que poder passar esse conhecimento para a futura geração. No entanto, na realidade atual, sempre com a necessidade de produzir mais e mostrar mais resultados, o tempo com a família sempre fica em uma escala de prioridades menor, assim como o próprio hobby em si.

Além de que, os hobbies “da moda” são os que mostram que você é uma pessoa competitiva que gosta de desafios como escaladas, rapel, rafting, etc., onde têm até treinamentos para executivos, para desenvolver essas “competências”, quando, de fato, a inteligência e a efetividade e eficácia nos negócios está relacionado com tudo, menos com esse tipo de visão.

Outra visão distorcida é a de que é um hobby solitário. Ninguém faz uma coleção sozinho. Se não houver troca de informação, grupos de intercâmbio e de troca de peças, é muito difícil formar-se uma boa coleção.

E, também, para não estender demais o tema, o prazer de formar uma boa coleção tem como premissa a satisfação pessoal e está relacionada com a formação e realização pessoal. Não cabe aqui espaço para as burlas e as espertezas, embora existam no ambiente filatélico, mas estes profanadores dos princípios básicos e éticos não têm vida longa, pois naturalmente são excluídos do ambiente. O que não acontece no ambiente de negócios, onde tudo é muito dinâmico e facilmente um “esperto” sai de uma roda para entrar em outra e continuar suas “espertezas”.

Concluindo, na realidade, a par de todos os argumentos acima, é porque sou um entusiasta, de longa data, da Filatelia e observo, com tristeza, a cada vez maior dificuldade para encontrar um aficionado do hobby.

E, para encerrar, gostaria de deixar algumas referências para quem se interessar pelo assunto.

Uma referência mundial, que tenho o prazer de conhecer e que tem um legado de mais de 60 anos na área que remonta a gerações, é o Sr. Peter Meyer, e nada melhor do que consultar o Mestre para conhecer um pouco do “universo” que tentei passar nestas curtas linhas.

Para conhecer um pouco de Filatelia e Pré-Filatelia acesse o site RHM Filatelistas.

E para procurar algumas oportunidades interessantes para iniciar uma coleção, também RHM, acesse o site: www.rhmleilões.com.br

Ou se preferir no facebook: https://www.facebook.com/filatelistas

Um bom hobby para você!

Anúncios

3 respostas para “Negócios, Selos e História”

  1. Artigo muito bom e que mostra como os valores e o conhecimento geral é atualmente pequeno quando comparado com as pessoas que tiveram uma formação melhor. A filatelia é uma ferramenta esquecida na educação, infelizmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s