Ensino a Distância – EAD

No EaD, temos crase ou não temos crase?

Recentemente tive a grata satisfação de conhecer o Giancarlo Colombo, em um encontro que tivemos na Unicamp. E, como leitor assíduo de seu blog “vou ler agora!”, constatei uma referência sobre nossa prazerosa conversa.

Fiquei ainda mais satisfeito pela sua reflexão sobre a utilização, ou não, de crase no EaD ou EàD (Ensino a Distância).

Não sou descendente de Camões – acho -, nem íntimo de Saramago, embora goste de ler seus livros, mas sou Português de nascimento e Brasileiro de coração.

Logo, gosto de prezar por nossa língua,  de buscar constantemente o aprimoramento e, embora tropece frequentemente no seu bom uso, porque tenho o péssimo hábito de não reler o que escrevo, adicionando a esse hábito prejudicial, procuro, também, manter estilos separados, apesar do acordo ortográfico, quando escrevo no Brasil e quando escrevo em Portugal, o que complica mais as coisas.

Portanto, como devem imaginar, algumas vezes “dá asneira”, como se costuma dizer na minha terra de origem.

Depois deste intróito, e voltando ao caso da crase ou não crase, fiquei muito  contente ao saber que na realidade eu escrevia corretamente o ensino a distância, sem crase, apesar de, nos últimos artigos, ter utilizado a crase.

Há poucas semanas, tive acesso a um rascunho de um suposto documento originado na ADUSP (Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo) e também consultei alguns blogues, sendo um deles do DCE da USP, ambos utilizavam a crase.

Pensei com os meus botões, será que eu estou errado? Será mais uma variação de utilização devido à regionalização (evolução) da língua?

Não é possível ter saído um documento da ADUSP com erro de português, portanto, vamos usar a crase.

O Giancarlo matou a minha dúvida.

De acordo com sua pesquisa ambas utilizações estão corretas. Ele prefere sem crase e eu vou voltar, também, para “sem crase”, como sempre foi.

Não vou entrar no mérito, neste caso, do porquê de usar, ou não usar, a contração da preposição com o artigo, a preposição está lá, sem dúvida. Agora, o artigo, não vou, mais, me preocupar com ele.

Depois de mais de 50 anos utilizando a língua, ter aprendido Latim – tinha essa matéria no meu tempo de escola -, ter lido os principais clássicos portugueses e brasileiros, e tendo um prazer especial em ler um bom texto em um bom português, você adquire uma certa “intimidade” com a língua, e, realmente, essa crase não “soa” nada bem.

Aboli, novamente, com alívio, a crase do EaD!

Anúncios

2 respostas para “Ensino a Distância – EAD”

    1. Tem um ditado que diz que pagamos pela língua, neste post paguei pela letra. Pois, como tinha dito, não gosto de reler o escrito, reli… Tinha tanto erro de português, justamente em um post sobre a língua, que tive que rever e corrigir…
      Um abraço,
      Mario

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s