IEAGE – Instituto de Estudos Avançados de Gestão e Empreendedorismo

IEAGE Rede de EmpreendedorismoConseguimos, finalmente, concretizar um projeto há muito tempo engendrado, e exposto, aqui, neste blog, desde 2009. Mas que, na realidade, remonta ao início dos anos de 2000, com algumas negociações internacionais, com livro escrito em 2005, com trabalho final de MBA em 2006, etc.

Foi uma longa caminhada e evolução, mas só agora possível de concretizar, devido ao avanço da tecnologia, conectividade, mobilidade e a constatação da real utilização “amigável” de todo esse ambiente, pelos usuários finais.

O projeto amadureceu, tomou novas vertentes, assimilou novas tecnologias e possibilidades, mas seus conceitos e valores não mudaram, aliás estão mais fortes e presentes nesta iniciativa, onde a ética, a transparência, honestidade e valores fundamentais de conduta humana e social, terão atenção especial.

O projeto e, portanto, o IEAGE, foi desenvolvido com foco nos empreendedores e para os empreendedores. Estamos a iniciar nossas atividades com grande entusiasmo e satisfeitos pela realização de um antigo sonho. Acreditamos que iremos contribuir, fortemente, no desenvolvimento de muitos empreendedores, globalmente.

Muitos profissionais de marketing talvez não concordem com a estratégia de lançamento deste projeto. Mas, como marqueteiro, também, e sendo a segunda geração, na família, de marqueteiros acostumados a “não seguir regras”, vamos abrir este projeto, desde o estágio inicial, diretamente ao público interessado, que são os empreendedores.

As “boas práticas” diriam que deveríamos, primeiro, promover associações, fazer propaganda, informar o futuro lançamento, criar uma promoção especial de inauguração, popular de dados os registros do diretório, etc., etc., e, em seguida, abrir, publicamente, o projeto.

No entanto, a “Rede”, apesar das dezenas de estudos e algorítimos desenvolvidos (Barabási-Albert, Dorogovtsev-Mendes, Zhou-Mondragón, Izquierdo, Hanneman, Pastor-Satorras, S.Boccaletti, V. Latorra, Y. Moreno, M.Chavez, D. Hwang, entre outros), tem o seu próprio e não desvendado “caos organizado”, logo, nós vamos testá-lo!

Esperamos avidamente sua presença no IEAGE e vamos construir, juntos, um mundo melhor, criar mais oportunidades e primar pela ética, honestidade e igualdade, tão desprestigiadas, nos dias de hoje.

Sucesso para todos!

Mário Ferreira

Negócios, Selos e História

O que relaciona estes assuntos com o escopo deste blog? Muitos aspectos!

Além dos artigos, deste blog, serem, basicamente, focados em conceitos e princípios básicos relacionados à área de administração e negócios, vários também procuram discorrer sobre a globalização, ética e os bons costumes e valores.

selo90Entre os costumes, um hobby mundial que está a perder adeptos e tornando-se mais raro, é a Filatelia. Quais seriam os fatores que motivaram essa diminuição de simpatizantes da Filatelia?

Esta análise, na perspectiva econômica e na perspectiva cultural, poderá facilmente ser transposta para várias outras áreas e costumes, que ora se perdem.

Na visão econômica, a partir da década de 80, com o liberalismo econômico, um das frases que tornou-se comum foi “Time is Money” – tempo é dinheiro – e tudo que a Filatelia não é, é algo que seja feito com pressa e visando lucro, no curto prazo.

Continuar lendo

Redes Sociais: conceitos básicos – parte 3

Redes Sociais – Conceitos – parte 3

Depois de longo interregno em relação ao último artigo sobre redes sociais, escrevo esta terceira parte da sequência. Entre vários motivos para esta demora, o principal é a não satisfação com o desenrolar da apresentação do tema que ficou um pouco agreste e com muitos conceitos e definições sem uma aplicação prática imediata.

No entanto, relendo um artigo de uma das figuras proeminentes da área, vejo espelhado o meu sentimento nas frases finais do seu artigo e que transcrevo abaixo:

“…nós contamos os triângulos da rede ou medimos as sequencias de graus, mas não temos a menor ideia se estas são as únicas quantidades importantes a medir (quase de certeza que não são) ou mesmo se elas são as mais importantes.” (NEWMAN, 2003. p.47-48)

Não obstante, faz-se necessário o término desta série de artigos sobre as redes sociais para que possamos seguir adiante com outras perspectivas, assuntos e novos insights e informações que surgiram, neste último ano, sobre o tema e outros assuntos.

Continuar lendo

Redes Sociais : conceitos básicos – parte 2

Redes Sociais: conceitos básicos – parte 2

Para desenvolver uma modelagem de uma rede social pode-se utilizar uma das três notações seguintes: a da teoria dos grafos, a da sociometria baseada em sociomatrizes ou a da notação algébrica.

E, para se desenvolver uma análise de uma rede social utiliza-se a teoria dos grafos, estatística, probabilidades e modelos algébricos. Quanto aos tipos de análise, pode-se desenvolver uma análise estrutural (Alain Degenne e Michel Forsé; Scott), uma abordagem matemática (Moreno) ou pelo que hoje se define como “ciência de redes” seguindo a linha de Barabási, Newman, Watt e Barabási.
Continuar lendo

Redes Sociais: alguns modelos e conceitos básicos – parte 1

Redes Sociais: alguns modelos e conceitos básicos – parte 1

Introdução

Relembrando um pouco de “História”, observa-se que, em realidade, “redes sociais” não é uma tendência ou um aspecto inusitado. Na idade média, por exemplo, os templários ou os grandes construtores de catedrais – os maçons – já tinham as suas redes sociais. Assim como, não é particularidade da década de 80 a globalização, no seu conceito alargado, pois os navegadores da antiguidade já desenvolviam a globalização com o comércio de especiarias e a exploração dos recursos naturais de terras além-mar, e com a expansão dos impérios coloniais (português, espanhol e britânico).
Continuar lendo

Redes Sociais e Desenvolvimento de Negócios

Introdução

Há algum tempo, tento equacionar uma correlação pragmática e fundamentada em modelos matemáticos entre as redes sociais e desenvolvimento de negócios para atender o projeto Rede de Negócios/Empreendedores, cujo projeto é o objetivo principal deste blog.

Até hoje não consegui uma modelagem que me satisfizesse, nem perto disso. No entanto vários pontos interessantes, ao longo desta pesquisa, fizeram-se claros e creio que cabem ser compartilhados com quem possa estar desenvolvendo pesquisa semelhante, ou mesmo com quem tenha algum interesse neste assunto de redes sociais e sua influência no ambiente de negócios.

Continuar lendo

Vantagem Competitiva

Quem tem acompanhado alguns artigos, deve ter reparado que sou um pouco avesso a definições muito “acadêmicas” ou a afirmações incisivas sobre o “certo e o errado” no que respeita a processos, metodologias e teorias ligadas à administração de negócios.

Primeiramente, não acredito em “receitas prontas” e em segundo lugar, com a dinâmica atual do ambiente de negócios, definir as “melhores práticas”, creio, no mínimo, ser uma pretensão aquém das possibilidades de qualquer um, por mais preparado que seja.
Continuar lendo